Sunday, July 31, 2005

no tempo do antes

No tempo do antes, ainda muito antes do nascer do mundo e do existir do homem parece que a unica coisa com vida era um piano de cauda. O Deus parece ter-se inspirado para a sua vontade de criaçao, soprando nas sete notas, criando esse poder de fazer e separar as àguas. viu ele que havia melodia e com o ritmo encheu os lagos, os rios e os mares de peixes e outros aparentados, depois tocou o rè e o dò assim sucessivamente como criança saltando de pedra em pedra. Fez macho e femea, sensuais e elegantes como uma clave de sol, depois pediu que as suas criaturas fechassem os olhos, assim ficou de noite, uma noite tao intima de tao escura. O Deus imaginou que o mi era erva a crescer e o sol uma àrvore a pingar de frutos. Nesse tempo, no tempo do antes pensou ele em compor uma cançao e do verbo fez um anjo, um anjo que dançava e que com as suas asas sacudiu uma pequena nuvem que por ser fragil sentiu uma dor de ficar chuva, assim se pode explicar o sofrimento do mundo. Adao e Eva os habitantes daquele jardim correram para se abrigar na densa folhagem da arvore da sabedoria. Rastejando pelos costados de seu tronco ia a serpente considerada o desafinador de criaçoes. Por causa daquela chuva torrencial o piano de cauda tinha apodrecido e eles homem e mulher tinham que ir às vida, serrar madeira, fazer um grande piano de cauda e encontrar alguèm que caminhando nas suas teclas junta-se de novo o primeiro som e a primeira origem da àgua ser àgua e o cèu ser cèu e o amor andar a fermentar poesias e satisfaçoes. Passaram jà muitos milhares, milhoes de anos, homem e mulher trabalharam mais o ferro, fizeram tanques de guerra, coroas para coroar reis, espadas para decepar suas raizes de irmandade. Deus continua à espera de um piano de cauda e o mundo è ainda uma serpente e um desafinador de criaçoes.
lobo 03

0 Comments:

Post a Comment

<< Home